Home / Alerta / Encontre a flexibilidade em sua vida e alivie as dores nas articulações

Encontre a flexibilidade em sua vida e alivie as dores nas articulações

Você já passou por uma situação de acordar pela manhã com dores nas articulações como se houvesse disputado uma maratona a noite toda?

Os pés mal podem tocar o chão, as mãos quase não fazem o movimento de segurar um objeto e tudo isso causado por uma sensação limitante de dores nas articulações.

  • Artrite.
  • Fibromialgia.
  • Gota.
  • Luxações.

As causas podem ser as mais variadas e o sintoma quase sempre os mesmos, rigidez, queimação e uma dor incômoda que impede que você realize movimentos com naturalidade de forma simples e indolor.

Mas você sabia que é possível sim aliviar e até mesmo acabar com as dores articulares?

Sejam elas dores crônicas ou causadas por excesso de medicação ou até mesmo por outra patologia associada.

Acompanhe o texto e descubra o que você pode fazer para promover o alívio da dor e desfrutar de articulações saudáveis e flexíveis!

As emoções e as dores articulares

Uma pesquisa realizada pelo laboratório Pfizer com 200 pacientes de 5 diferentes regiões do Brasil e revela a percepção das pessoas sobre as dores e a emoções, aproximadamente 54% das pessoas que participaram da pesquisa acreditam que as dores nas juntas é um problema na alma e 45% relacionam o incômodo a emoções negativas sendo que 19% se sentem culpados por dores e doenças.

Ou seja, 99% da população atingida percebem que as dores não são causas físicas, esses são apenas sintomas de que algo está em completo desequilíbrio e reagindo a essa desordem como forma de pedir ajuda!

É o corpo e a mente provando mais uma vez que a dor é o caminho para a cura.

E se você ainda não se convenceu de que as emoções exercem forte influência em seu organismo, pare e reflita: quando as suas articulações mais reclamam?

Veja algumas emoções e onde elas podem causar dores:

  • Dores nas mãos– Pode ser um sintoma de isolamento social, quando você se sente sem conexão com o mundo e com as pessoas ao seu redor.
  • Dor nos joelhos– ligado ao sentimento de orgulho e inflexibilidade diante dos fatos.
  • Dor nos pés– Apego ao passado.

De uma maneira geral as dores nas articulações são relacionadas a sentimentos e emoções de inflexibilidade, intolerância e a falta de novas experiências, novos aprendizados.

Agora mais uma vez a pergunta: onde mais as suas articulações reclamam?

A hora é agora, não há o porquê continuar com dores, abra sua mente e seu coração para a mudança e promova uma transformação na sua vida.

Mudando o curso da dor através da conexão corpo e mente

Uma vez que as emoções exercem tão importante influência sobre a sua vida e sobre a sua saúde, que tal utilizar isso ao seu favor?

Comece então se observando e entendendo o momento atual que está vivendo, quais são suas limitações, o que te impede de mudar, o que não merece flexibilidade?

Entenda, você provavelmente não seria capaz de mudar tudo e todos, mas você é plenamente capaz de mudar a sua vida e a sua saúde, por isso, aproprie-se dessa habilidade e a utilize em função de um bem maior.

Veja seu corpo e sua mente como um único instrumento, capaz de estimular e realizar transformações químicas e físicas em seu organismo apenas com a mudança de sua atitude mental.

Seu corpo, sua mente, sua alma, funcionam como uma antena, capaz de captar e emitir ondas energéticas que trabalham em função do bem-estar, por isso, não permita absorver emoções, sentimentos e pensamentos negativos, pratique de maneira intensa o pensar e o agir positivo e dessa maneira consiga encontrar a sintonia perfeita para o seu canal de saúde e cura!

Para isso entre em contato absoluto com as suas mais profundas crenças e percepções e faça uma varredura completa em tudo aquilo que te impede de seguir em frente e alcançar a saúde plena.

E como colocar em prática?

Entenda que não há formula mágica, o que há é trabalho, reequilíbrio emocional, conexão corpo e mente e estimulação mental, mas é possível e só depende de você, por isso, pratique:

  • Se as emoções alimentam seu corpo e sua mente, nutra-os de forma saudável, pensamentos positivos, alegres, de harmonia, alegria, gratidão, saúde, positivismo esse é o remédio para que seu cérebro consiga efetivar a completa mudança química no curso da dor.
  • Aceite o curso natural da vida, não se oponha aos acontecimentos, cada ação tem uma reação, cada fato tem seu propósito, a inflexibilidade te impede de encontrar a cura e de ver as coisas boas da vida.
  • Tenha hábitos saudáveis, eles estimulam a amorosidade e o bem-estar e isso promove cada vez mais emoções prazerosas e positivas.
  • Agradeça, toda vez que uma emoção negativa insistir em vir a mente, mude o rumo dos pensamentos e agradeça, você verá que em pouco tempo o negativismo se esvai.
  • Pratique a caridade, quem ama, quem cuida, quem olha a dor do outro com olhar de compreensão, é capaz de se abrir para novas experiências e entender o mundo exterior de uma outra forma.
  • Acredite, seu potencial é imensurável, jamais permita que essa certeza desapareça de sua alma, você é capaz de mudar a sua vida, saia da posição de vítima e tome o leme do seu barco da vida!
  • Relacione-se com você, com os outros e com o meio ambiente, a vida é cheia de oportunidades, não é nada saudável passar por ela sem provar de todas as experiências!

AME E DEIXE TE AMAREM.

E a partir do momento que você conseguir completar uma dessas práticas, sentirá todo o poder da flexibilidade em sua vida e verá que o que você estava precisando era de movimentos inteligentes progressivos e transformadores, capazes de tornar você tão maleável como uma articulação deve ser!

Acredite, você é capaz de mudar e de encontrar os benefícios da cura!

Sobre Kelly Lemos

Veja também

DOR

Dicas fabulosas para ter mais energia e vitalidade no seu dia a dia

Você já acorda cansado, com a sensação de que não dormiu o suficiente durante a …

2 comentários

  1. Angela Regina Parravicini Tabosa

    Simplesmente eu adorei este artigo ,💕

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *