Home / Movimento inteligente / Erro de Diagnóstico: A Fibromialgia de Dona Maria

Erro de Diagnóstico: A Fibromialgia de Dona Maria

Você já ouviu falar sobre a ocorrência de erro de diagnóstico? Provavelmente sim, por isso, devido à grande importância desse assunto, resolvi contar uma historinha (real) para que você possa entender um pouco mais sobre isso.

Clique aqui e confira tudo em que o Movimento Inteligente pode te ajudar

Erro de diagnóstico: dona Maria

Em um dia de domingo, dona Maria prepara o almoço para a sua família quando sente dores insuportáveis nas mãos, a dor é tão intensa que o prazer de cozinhar se torna um martírio. Ela toma um remedinho e termina o almoço, afinal, ela não poderia deixar a sua família sem refeição, mas sofre calada.

Na segunda feira ela recorre ao pronto socorro e passa por um médico em uma consulta de uns 5 minutos, onde o médico pergunta uma coisa e outra e passa para ela um analgésico e um anti-inflamatório para aliviar a dor. Essa história é verídica e eu só troquei o nome da pessoa, ok, pessoal?

A dona Maria vai até a farmácia, compra o anti-inflamatório e o analgésico ela prefere tomar sempre aquele que fica em casa quando ela tem uma dorzinha ou outra e durante toda a semana ela segue a orientação direitinho, vendo se a dor vai aliviando ou não.

Porém, chega o próximo domingo e a dor continua forte e dessa vez a mão direita dói muito, então ela chega a comentar no momento do almoço com os seus filhos, um filho diz que é tendinite, o marido diz “ah isso é coisa da idade mesmo” a filha diz “você tinha que ter ido era em um ortopedista” e 20 dias depois dona Maria vai ao consultório de um renomado ortopedista que a filha fez questão de leva-la e paga uma consulta particular porque no plano de ele só tinha vaga para depois de 60 dias.

Então, ela explica para o médico que a dor começou na mão direita, que as vezes vai para a mão esquerda e que ela não sabe mais o que fazer. O médico pergunta, examina um pouco e fala, “Mas você tem formigamento, tem dormência”? Aí ela “Aí as vezes sim, mas é que a dor é tão intensa que eu nem sei”, aí o médico após examinar e fazer essas perguntas dá o seu diagnóstico.

O mesmo conclui que ela tem Síndrome do Túnel do Carpo e ele explica que essa síndrome é muito comum na idade dela e que ela pode até tentar alguns tratamentos, mas que tem uma cirurgia muito simples para liberar esse nervo e ela resolver de uma vez essa dor.Eu não sei se você sabe, mas essa cirurgia consiste em cortar o ligamento da mão para liberar o nervo.

Após dar o diagnóstico, o médico prescreve uma injeção de corticoide para reduzir o inchaço e aliviar a dor, ela coloca uma munhequeira e marca a sua cirurgia, mas, segundo o médico é algo simples e vai resolver de uma vez e ela faz a cirurgia e um pós cirúrgico é sempre um pós-cirúrgico, não é verdade?

Então, ela não consegue usar a mão e o mais difícil para ela é que as dores continuam, dói muito a outra mão, dói os ombros e ela volta para ainda tirar os pontos da cirurgia e fala para o médico que as dores ainda estão insuportáveis, e que não passou, logo em seguida ela aguarda o diagnóstico do médico.

O médico explica que a cirurgia foi um sucesso, que aconteceu tudo bem, mas, no fundo no fundo pode ter tido algum equívoco nesse diagnóstico e ele fala “Olha eu vou te encaminhar para um reumatologista e aí você vai lá e faz essa consulta e vamos tirar essa dúvida” e aí depois de algumas perguntas, alguns toques no corpo dela o reumatologista diz “Você tem fibromialgia e isso não tem cura, não sabemos a causa, isso é de fundo emocional”.

Pois é, essa história ela aconteceu com uma pessoa que eu atendi no meu consultório e eu acredito que você possa conhecer alguém que já passou por uma história como essa, não é verdade?

E depois de tanto andar para lá e para cá, uma cirurgia desnecessária ela descobriu que nem era esse o problema. Então, essa história ela tem uma lição para gente, a gente tem que procurar a aprender com nossas dificuldades.

E eu acredito que você não merece passar por tanta dor e eu quero pegar dessa história uma lição que você pode aprender e eu tenho certeza de que já on this site vai te ajudar a resgatar um pouco da sua saúde

A primeira lição é respeite o sintoma e trate a causa. Erros de diagnósticos são muito comuns, isso não tem nada a ver com a negligencia médica, de jeito nenhum, o fato é que alguns sintomas relacionados a dor realmente enganam até os médicos e o ser humano é muito complexo para sempre se enquadrar em uma receita de bolo.

Além disso, a medicina convencional, ela nunca vai na causa, isso é muito raro. Ela fica somente nos sintomas e devido a esses sintomas você toma medicamentos e surgem efeitos colaterais e você tem mais sintomas que mascaram completamente a causa, isso vira uma bola de neve e não resolve.

Então, eu convido a você a respeitar os seus sintomas sim, respeite a sua dor, ela está sinalizando que existe algo em você que está precisando de atenção.

O meu nome é Kelly Lemos, eu sou fisioterapeuta há mais de 15 anos e conheço muito bem histórias como essas de erro de diagnóstico, por isso fique atento. Espero que esse vídeo tenha sido útil para você, então clique em gostei se você gostou, clique em não gostei se você não gostou e conta para mim a sua história, eu adoro interagir e ao saber exatamente o que você sente eu terei condições de preparar uma aula na medida para o seu problema, para o que você tem.

 

Sobre Kelly Lemos

Kelly Lemos é especialista no método Feldenkrais, Certificada pela IFF (Internacional Feldenkrais Federation). É Mestre em Psicossociologia pela UFRJ, Terapeuta Corporal Reichiana, Fisioterapeuta do Instituto Nacional de Traumato-ortopedia (INTO), Especialista em Neuropediatria pela UFSCar e possui Formação em Mindfulness pela UNIFESP, Formação em RPG, Formação em Bobath adulto e pediátrico e Formação em maintland e mulligan.

Veja também

O impacto de uma escolha!

Todos os dias você faz escolhas… às vezes pequenas, como por exemplo, qual roupa colocar, …

2 comentários

  1. Bom tudo que vc faou e verdade,e asim mesmo que aconteceu comigo.agora eu to tomando um monte de remédio e to do mesmo geito com dor.

Aprenda a ALIVIAR 80 a 100% da DOR CRÔNICA na COLUNA e ARTICULAÇÕES em Apenas 8 Semanas.

(Sem Remédios, Sem Cirurgias e Sem Sair de Casa)

envelope