Home / Aprenda / Fadiga crônica: o que pode te ajudar?

Fadiga crônica: o que pode te ajudar?

Olá, tudo bem com você? Aqui é Kelly Lemos do Movimento Inteligente falando e hoje tenho algo para falar: Fadiga crônica!

Conhecida como síndrome da fadiga crônica, esta doença é muito controversa e sua explicação é bem simples, sendo uma das doenças que geram mais frustrações ao se tentar lidar, e isso não é só para os afetados por ela, mas também para os próprios médicos. Já que ainda não possuem causas definitivas, seu diagnóstico é bem complicado e muito difícil de ser realizado, além disso, seu tratamento tem pouca efetividade.

Mesmo que essa síndrome não torne menor o tempo de vida do paciente, ela é considerada pelos médicos como uma doença grave, porque gera uma queda significativa na qualidade de vida da pessoa.

Entenda agora mesmo tudo sobre a fadiga crônica e o que fazer para minimizar este problema.

O que é Síndrome da fadiga crônica?

A síndrome da fadiga crônica é uma doença que se caracteriza por uma sensação de fadiga extrema, onde não se encontra explicação possível por nenhuma condição médica subjacente.

Sintomas da síndrome da fadiga crônica

Além da própria sensação de fadiga crônica que é de onde saiu o nome da doença, os pacientes que sofrem com ela apresentam, ainda, outros sintomas. Estes são os seguintes:

  • Dificuldade de concentração e “memória fraca”;
  • Dor de garganta;
  • Dor muscular;
  • Dor articular;
  • Dor de cabeça;
  • Dificuldades em dormir;
  • Linfonodos discretamente aumentados e dolorosos;
  • Exaustão após esforço físico ou mental, mesmo após 24 horas de repouso.

Esses são alguns dos sintomas clássicos e mais comuns, porém, existem outros podem acontecer como:

  • Tonturas;
  • Diarreia;
  • Alergias;
  • Outros.

O paciente costuma se queixar de dores, porém nenhuma lesão é achada, queixa-se de febre, mas o termômetro nunca mostra temperaturas fora do normal, os linfonodos dolorosos aparecem de forma normal à biópsia e a eletroneuromiografia não consegue demonstrar a existência da fraqueza muscular.

Esta capacidade tão reduzida de se documentar as queixas dos pacientes em diversas vezes, leva a uma interpretação completamente errada de que estão apenas fingindo ter uma doença, se escondendo atrás de sua preguiça e falta de vontade de fazer as coisas.

Mas, assim como na fibromialgia, a síndrome da fadiga crônica tem que ser vista como uma doença de verdade, evitando-se que seja feita a estigmatização dos pacientes.

Causas

Os cientistas ainda não conseguem saber exatamente o que gera a síndrome da fadiga crônica, mas ainda assim existem muitas teorias – que vão desde infecções virais até o famoso e bem comum estresse psicológico.

A hipótese que tem mais aceitação hoje em dia, na realidade, é que existe uma combinação de fatores que podem estar relacionados no que causa a doença. Esses fatores incluem:

  • Infecções virais

Várias pessoas têm o desenvolvimento da síndrome da fadiga crônica após ter sofrido com alguma infecção viral, que fizeram com que tivesse um resfriado, uma gripe, sinusite, entre outros.

É por isso mesmo que os especialistas começaram a prestar mais atenção para alguns vírus que podem estar relacionados na causa da doença.

  • Problemas no sistema imunológico

Os médicos ainda analisam que o sistema imunológico das pessoas que sofrem de síndrome da fadiga crônica é bem mais fraco que o de pessoas que são mais saudáveis.

  • Desequilíbrios hormonais

As pessoas que são afetadas pela síndrome da fadiga crônica também possuem, algumas vezes, quantidades anormais dos níveis de hormônio na corrente sanguínea – especialmente os hormônios que são produzidos pela hipófise, pelo hipotálamo ou pelas glândulas suprarrenais.

Mas, da mesma maneira, o que leva a essas anormalidades também não é conhecido.

  • Fatores de risco

Mesmo que as causas da síndrome da fadiga crônica estejam ainda completamente desconhecidas para os médicos, existem pequenos fatores que são conhecidamente capazes de fazer com que o risco de ocorrência da doença aumente. São eles:

  • Idade

A síndrome da fadiga crônica não possui uma idade especifica para ocorrer, mas acontece mais em pessoas entre os 40 e os 50 anos.

  • Sexo

As mulheres costumam ser mais afetadas pela síndrome da fadiga crônica do que os homens.

  • Estresse

Ter uma grande quantidade e uma carga relativamente alta de estresse na rotina, especialmente no trabalho e nas relações familiares e íntimas, parece estar diretamente relacionada na geração da síndrome da fadiga crônica.

Exercícios que ajudam no alívio e disposição corporal

Para síndrome de fadiga crônica, além do tratamento que deve ser iniciado assim que for descoberta a doença, existem algumas medidas de autocuidado que podem ser bem úteis.

  • Reduza o estresse: Busque desenvolver um plano para poupar ou limitar esforços que são excessivos e o que te leva a um estresse emocional. Sempre tenha um tempo para relaxar todos os dias;
  • Melhore seus hábitos de sono: Vá para a cama logo cedo e tente acordar sempre na mesma hora. Busque dormir apenas durante a noite. Além disso, deixe a cafeína de lado assim como o álcool e nicotina.
  • Organize suas atividades para que você não as faça todas no mesmo dia: Aprender como você pode gerenciar melhor o tempo e suas ocupações serve como grande aliado nessa tarefa.

CONFIRA ESSE VÍDEO E VEJA COMO O MOVIMENTO INTELIGENTE PODE TE AJUDAR A RELAXAR!

Usando as estratégias certas, será bem mais fácil para você lidar com este problema. Siga esses passos e use o que você já aprendeu sobre o assunto. Certamente o retorno proporcionado será muito positivo.

Caso você ainda não tenha o diagnóstico definitivo, mas apresenta os sintomas citados, o melhor a se fazer é procurar um médico. E começar a usar os movimentos inteligentes hoje mesmo!

Qualquer dúvida entre em contato! Será um prazer falar com você!

Sobre Kelly Lemos

Veja também

Dores crônicas e meditação – 4 dicas infalíveis para acabar com elas

Então você está buscando por dicas de como acabar com as dores crônicas? Pois saiba …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Aprenda a ALIVIAR 80 a 100% da DOR CRÔNICA na COLUNA e ARTICULAÇÕES em Apenas 8 Semanas.

(Sem Remédios, Sem Cirurgias e Sem Sair de Casa)

envelope