Home / Aprenda / Mal de Parkinson causa dores? Saiba tudo sobre!

Mal de Parkinson causa dores? Saiba tudo sobre!

Os tremores são apenas a ponta do iceberg.

Depois vem a rigidez dos membros

Depressão

Demência

E por consequência o isolamento social.

Mal de Parkison, doença de Parkison, são nomes diferentes para um mesmo problema.

Você provavelmente já ouviu falar ou viu pessoas que sofrem com a doença, seja na rua, ou mesmo em alguma reportagem sobre o problema, mas você sabe suas causas e sintomas?

E dores? Quem sofre de mal de Parkinson, considerada pela medicina tradicional incurável, o que sente?

Essas e mais respostas, você encontra hoje, continue a leitura e acompanhe!

O que é o Mal de Parkinson?

Trata-se de uma doença neurológica, degenerativa e considerada crônica, que acomete principalmente pessoas acima dos 65 anos de idade.

Médicos apontam que é causado por uma degeneração dos neurônios que ao longo do tempo vão sofrendo desgastes e não conseguem se regenerar (Será mesmo? Veja mais a frente), o processo afeta uma região do cérebro chamada substância negra.

Como consequência causa uma deficiência de dopamina, neurotransmissor que tem como principal função controlar movimentos finos do indivíduo.

A medicina tradicional não aponta formas de prevenção e nem de cura, contudo, estudos neurológicos apontam a neuroplasticidade como uma forma de encontrar o caminho da cura e você saberá como mais adiante.

Quais as causas do Mal de Parkinson?

Mesmo nas pesquisas mais recentes, ainda não foram encontradas as causas exatas da doença de Parkinson, contudo, existem fatores que podem influenciar, são eles:

  • Traumas no crânio, isolados ou repetidos.
  • Contato com agrotóxicos.

Mas afinal, o que é substância negra?

A substância negra são os espaços intercelulares que conectam um neurônio a outro, também chamados de sinapses, estão localizadas no mesencéfalo e são formados por uma pigmentação escura, daí a origem do nome.

Quais os principais sintomas da doença?

Os sintomas do Mal de Parkinson são divididos em motores e não motores, conheça os principais:

  • Tremores, sintoma inicial em cerca de 70% dos casos.
  • Bradicinisea, que são movimentos lentos dos braços.
  • Rigidez muscular.
  • Perda de expressão facial.
  • Redução do piscar de olhos.
  • Alteração na fala.
  • Aumento da salivação.
  • Visão embaçada.
  • Micrografia, que se caracteriza pela diminuição das letras.
  • Incontinência urinária.
  • Depressão.
  • Demência.
  • Alteração do sono.
  • Raciocínio lento.
  • Alucinações.

O mal de Parkinson pode ser doloroso?

A resposta é sim, as dores de quem sofre o mal de Parkinson são severas, contudo, não pela doença em si e sim pelos sintomas que ela provoca.

O mal de Parkinson provoca dores consideradas comuns a terceira idade, contudo, de uma maneira mais rígida, veja as principais queixas de quem sofre com a doença:

  • Dores musculoesqueléticas: Causada pela rigidez e perda do movimento instintivo da pessoa, atinge regiões como, ombros, lombar, pescoço e quadris.
  • Dores neuropáticas: Dores nos nervos que acontece muito na região lombar.
  • Dor com Distonia: De origem neurológica, causada pela repetição, atinge principalmente, braços, pernas, tronco, pescoço, face, língua, mandíbula, músculos e cordas vocais.
  • Dor central: Ocorre devido as lesões no sistema central.

Como cuidar dos seus neurônios e evitar ou até mesmo curar o Parkinson?

Ok, o Mal de Parkinson é caracterizada pela morte acelerada dos neurônios, mas o que talvez você não saiba é que o seu cérebro é capaz de criar novas ligações com as sinapses e com os neurônios vizinhos ou irmãos, e assim continuar a desempenhar suas atividades normalmente.

Sim, os neurocientistas afirmam que o cérebro é capaz de se adaptar a novas realidades e atestam que todos os seres humanos são dotados dessa capacidade e para realizá-la é necessário apenas aprender a acessar essa habilidade.

Por isso, se você conhece ou tem o Mal de Parkinson, saiba que é possível sim encontrar a cura através da neuroplasticidade que quando estimulada corretamente pode trazer resultados fantásticos!

O movimento inteligente, além de usar todo o seu potencial corpo e mente para libertar seus movimentos, tem o olhar voltado a capacidade de transformar seu cérebro através de estímulos internos e externos!

O movimento inteligente leva você a entender e ter a completa compreensão do seu corpo e da sua mente e dessa forma conseguir acessar a neuroplasticidade e transformar a sua saúde!

Venha conhecer e encontre a cura!

Sobre Kelly Lemos

Veja também

4 atitudes incríveis que servem para aliviar a dor crônica

Joana no auge dos seus 40 anos, sentada em um banco de praça observa um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Aprenda a ALIVIAR 80 a 100% da DOR CRÔNICA na COLUNA e ARTICULAÇÕES em Apenas 8 Semanas.

(Sem Remédios, Sem Cirurgias e Sem Sair de Casa)

envelope