Home / Dores / O problema da desregulação no sistema nervoso com a associação da dor

O problema da desregulação no sistema nervoso com a associação da dor

Você sabe de fato qual é a importância de um sistema nervoso saudável e fortalecido para a sua saúde mental e física?

Uma disfunção do sistema nervoso autônomo pode impactar sua vida de sua saúde de maneira surpreendente.

Assim há o sistema nervoso autônomo (SNA), que engloba o sistema simpático (responsável pela excitação, aceleração, etc.) e o sistema Parassimpático (responsável pelo relaxamento, bem-estar, calma), é a parte que corresponde ao controle da:

  • Temperatura.
  • Pressão arterial.
  • Respiração.
  • Circulação sanguínea.
  • Digestão.
  • Movimentos peristálticos.
  • Reflexos.
  • E também responsável pelas mudanças automáticas do corpo diante das modificações do ambiente, como por exemplo, o suor diante do calor.

Agora imagine tudo isso em desequilíbrio, será que isso tem influência sobre a dor?

A desregulação do sistema nervoso e a dor crônica

As dores em sua forma aguda é um alerta do organismo de que algo não está respondendo como deveria, por exemplo, uma dor de cabeça no final de uma tarde de sol na praia, pode indicar que você não se alimentou e nem ingeriu água o suficiente, que abusou dos seus limites físicos, de exaustão, insolação, entre diversos outros fatores.

Já as dores crônicas são provocadas por uma falha de repetição no sistema nervoso como seu o botão de ligar e desligar estivesse “desregulado” e fosse impossível ter o controle sobre ele.

Isso pode acontecer, através de lesões nervosas, que se repetem até que seja reforçado uma falha no sistema nervoso no ato de enviar a mensagem de dor entre o cérebro e o corpo.

Dessa forma não se trata de um sinal, não se trata do organismo indicando que algo deve ser reavaliado e sim que um caminho de dor foi criado e reforçado e a cada vez que é estimulado de alguma maneira ele repete todo o circuito causando a dor.

E há possibilidades de cura?

Você pode estar pensando, uma vez lesado um neurônio que é quem transporta as informações, não se pode recuperá-lo, portanto, não há como curá-lo.

Bem, um neurônio pode sim sofrer um dano grave e não mais conseguir fazer a sinapse entre as células, contudo, existe a possibilidade que os neurônios vizinhos em plena saúde assumam a função e passem a desempenhar o papel com perfeição!

Estamos falando da neuroplasticidade, da capacidade cerebral de modificar suas conexões e se adaptar a novas realidades, fazendo com que novos caminhos sejam descobertos e utilizados para produzir a cura e o alívio da dor.

A neuroplasticidade e a dor

Da mesma maneira que houve uma repetição, até haver a lesão do sistema nervoso para criar a dor crônica, é possível fazer o caminho inverso, criar o caminho de cura e alívio através da repetição da neuroplasticidade.

Com a neuroplasticidade é possível estimular o cérebro a mandar para o seu corpo, para aquele local onde age a dor crônica sinais e substâncias que permitam uma nova conexão com o sistema nervoso.

É possível sim que o cérebro se reorganize e deixe de alimentar determinada região do seu corpo com a mensagem de dor e assim, passe a enviar mensagens de alívio.

Tudo isso através das células vizinhas e não desreguladas por lesões nervosas.

Como regular o sistema nervoso e se livrar das dores?

A neuroplasticidade é uma capacidade de todos e a melhor maneira de acessa-la é através da estimulação emocional!

Exatamente isso, utilizando seus sentimentos, emoções e percepções para criar um novo caminho entre seu corpo e seu cérebro.

Os neurotransmissores que são os responsáveis pelas sinapses, aqueles sinais que vão enviar a cura para suas dores crônicas, pois é, são nutridos, estimulados através de emoções e sentimentos de positividade e amorosidade.

Você pode começar simultaneamente de dentro para fora e de fora para dentro!

Por exemplo, cuidar da sua saúde, fazer coisas que dê prazer, praticar atividades que você goste, tudo isso é amor, um ato de amorosidade própria e já está estimulando seu cérebro a novas conexões neurais.

Outro exemplo, atos de caridade, de altruísmo, de gentileza, tudo isso, causa emoções positivas e fazem com seu cérebro automaticamente se modifique!

Então, porque não se livrar das emoções ruins e deixar as boas entrar, e assim conseguir trilhar um novo caminho para o alívio das dores?

Sobre Kelly Lemos

Veja também

Transtorno Borderline: uma tempestade de emoções

As emoções podem afetar a sua saúde significativamente, sabia disso? As reações químicas que o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Aprenda a ALIVIAR 80 a 100% da DOR CRÔNICA na COLUNA e ARTICULAÇÕES em Apenas 8 Semanas.

(Sem Remédios, Sem Cirurgias e Sem Sair de Casa)

envelope