Home / Dores / Os desafios de quem tem fibromialgia

Os desafios de quem tem fibromialgia

Vivendo com dor, por vezes tão intensa que se torna impossível fazer simples movimentos e atividades como falar ao telefone, vestir-se pela manhã, segurar um copo d’água,…

Uma dor invisível e que apenas você sabe realmente o que está sentindo.

Assim é a dor da fibromialgia.

Ora como queimadura constante, ora como se seu corpo estivesse para rasgar por dentro; enfim, uma dor que assume diversas formas em seu corpo.

Sem contar que a nível familiar, muitas vezes você tem que ensinar sua família sobre a doença – o que é, como que se manifesta, como é o seu dia-a-dia ao viver uma dor crônica para, assim, você ser apoiado e compreendido por ela.

Dessa forma, os desafios de quem tem fibromialgia são vários e são sobre eles que vamos abordar aqui neste artigo.

O que é a fibromialgia

Antes de tudo vamos entender melhor o que é a fibromialgia.

Geralmente a fibromialgia tem sido descrita como dor crônica nos tecidos fibrosos (tendões e ligamentos) e nos músculos, ou seja, no sistema esquelético e muscular.

Por outro lado, a fibromialgia também pode ser definida como hipersensibilidade à dor.

Isso significa que diante dos músculos que produzem a dor, a resposta cerebral dá mais informações. É como se houvesse mais dor do que normalmente produz esse estímulo.

Inclusive, quando já não existe o estímulo que produz a dor, ela pode persistir.

Além da dor, a fibromialgia apresenta outros sintomas como:

Distúrbios do sono.

Fadiga.

Falta de concentração.

Parestesias nas extremidades.

Ansiedade.

Depressão, etc.

Assim, a fibromialgia se revela como uma síndrome muito difícil de descrever.

Em todo o caso, felizmente, ela foi reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em 1992.

Foi assim que essa dor deixou de ser ignorada e passou a ser reconhecida, ganhando um pouco mais de voz.

Fibromialgia – os desafios de quem tem essa doença

Lidar com a desconfiança de quem não entende os sintomas e ainda sentir dores intensas são somente alguns dos desafios de quem tem fibromialgia.

Ademais, devido ser silenciosa, não provocar qualquer transformação externa e não detectável em exames laboratoriais, a fibromialgia é vista como um transtorno psicológico e você pode acabar que sendo taxado (a) de doente psicológico, o que também não é verdade.

A grande verdade é que a pessoa que tem fibromialgia realmente sente uma dor forte.

Outro detalhe é que algumas pessoas com fibromialgia apresentam depressão, e a depressão leva à dor crônica; e isso se torna um fator agravante.

Fibromialgia – diagnóstico e tratamento

Fátima Sodré, com dor persistente, buscou ajuda de um reumatologista.

Através de um exame em que o paciente deve manifestar dor em pelo menos 11 dos 18 locais esperados de pontos musculares dolorosos, e a partir da exclusão de outras condições clínicas, distúrbios primários do sono e doenças reumáticas, finalmente ela acabou diagnosticada com a fibromialgia.

Para Fátima a melhor saída encontrada para ter qualidade de vida mesmo com a doença foi a prática de exercícios físicos – a principal recomendação médica para o tratamento da fibromialgia.

Isso porque o exercício físico diminui a dor, melhora a ansiedade, a depressão, a fadiga e o sono, que são componentes muito importantes da fibromialgia.

Se você tem fibromialgia, sabe muito bem sobre a dificuldade que pode ser fazer exercícios físicos, pois alguns podem ser de alto impacto e talvez por isso, muitas vezes já tenha desistido deles!

Mas há solução e logo falaremos sobre os Movimentos Inteligentes, combinado?

Em relação a medicamentos, muitos médicos passam o uso de relaxantes musculares ou ainda antidepressivos, o problema é que esses medicamentos causam outros problemas e muitas vezes não resolvem as dores da fibromialgia – o que torna a vida ainda mais penosa.

Por isso, tratamentos alternativos foram inseridos, como homeopatia, fitoterápicos, medicina tradicional chinesa, acupuntura, termalismo social-crenoterapia, medicina antroposófica e as plantas medicinais como práticas integrativas e complementares para tratar a fibromialgia.

Tais terapias tem ajudado a aliviar a dor e os desafios de quem tem fibromialgia, além de auxiliar a minimizar os efeitos colaterais, trazendo maior qualidade de vida durante o tratamento e cura definitiva.

Portanto, para tratar a fibromialgia, o ideal é buscar a cura real dela!

Assim, você pode ter o controle sobre essa doença e ainda assim viver melhor.

E então, quais outros desafios você tem passado ou conhece alguém que está passando por isso?

Agora fala para mim… não seria maravilhoso poder curar naturalmente sua dor crônica?

Então, aproveita para conhecer o livro digital Adeus Dor Crônica, onde você será beneficiada com 10 aulas diferentes que farão todas as dores no seu corpo irem embora, aprenda todos os movimentos libertadores que impactarão sua vida positivamente!

Clique no link abaixo da descrição e veja mais sobre como viver com alegria e sem dores!

https://lsc.movimentointeligente.com.br/adeus-dor-cronica/

Registre seu comentário!

VEJA ESSE VÍDEO!

Um forte abraço.

Resta mais alguma dúvida?

 

Sobre Kelly Lemos

Veja também

O que a tendinite pode estar querendo dizer sobre sua vida?

O que a tendinite pode estar querendo dizer sobre sua vida? Não importa os remédios …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Aprenda a ALIVIAR 80 a 100% da DOR CRÔNICA na COLUNA e ARTICULAÇÕES em Apenas 8 Semanas.

(Sem Remédios, Sem Cirurgias e Sem Sair de Casa)

envelope