Home / Movimento inteligente / Psicossomática: corpo e emoções – até onde dói?

Psicossomática: corpo e emoções – até onde dói?

Aonde dói mesmo?

Dói minha cabeça… quase o tempo todo.

Dói minhas costas e chega a ser irritante!

Sinto dor nos ombros e no meu pescoço, estou em crise!

Minhas pernas doem…

Sinto dor nos joelhos, quadril…

Meu corpo todo dói, socorro!

Talvez você já tenha ouvido falar no assunto, talvez já tenha lido ou visto em algum lugar, e possivelmente você já até sentiu dores sem causas.

Estranho isso?

Mas não é!

O corpo tem um modo inteligente de trazer informações, mesmo quando você pensa que não… por exemplo: você pode ter continuamente dores de garganta e não saber exatamente porque isso ocorre. Isso já aconteceu ou ocorre com você?

Um exemplo comum sobre as dores que sentimos no corpo, tem associação a expressão de tudo o que você sente e sobre o que deixa contido/ retido.

Por exemplo, um choro contido pode trazer palpitações ao coração, pode deixá-la angustiada e fazer surgir outras patologias ou prejuízos a saúde, sabe por quê?

Porque o corpo fala, mas a sua fala muitas vezes é sensível e sutil… e aí aquele sintoma não parece ser importante e de repente a dor passa, ela é temporária, mas quando o seu corpo dói inteiro ou dói em algum lugar de forma insistente, ele está gritando e dando informações valiosíssimas para você!

Olha que legal essa informação!

O que significa psicossomático?

O termo então psicossomático surge então da indicação daquilo que se soma. Se trata de uma ciência que envolve a medicina e psicologia, estudando os efeitos psicológicos, sociais e processos do corpo, diante o bem-estar das pessoas.

Por isso que o termo de doenças psicossomáticas ou processos psicossomáticos surgiram, visto que uma doença física também pode ter seu princípio baseado na mente.

Hãn? Como assim Kelly?

Sabe aquelas doenças que surgem sem causas aparentes ou sintomas que são associados a determinada doença, mas que você sente que não se desenvolveu puramente sozinha?

O que quero dizer é que sim, muitas vezes o corpo dói, mesmo quando o diagnóstico de doença nem existe.

Sofrimento interno e externo

O fato do você ter desenvolvido uma doença psicossomática, não quer dizer que a doença ou a dor não existam, pelo contrário, seu corpo emite esse sinal de desconforto, porque está em processo de sofrimento e muitas vezes o sofrimento externo é na verdade, reflexo de um sofrimento interno, exemplo:

– Feridas emocionais.

– Ressentimentos.

– Dificuldades em desculpar as pessoas.

– Descontroles emocionais.

– Dificuldades em gerir sentimentos e ações.

Dessa maneira, as doenças e processos psicossomáticos negativos que se revelam no corpo, acabam trazendo diversas realidades, como exemplos:

– Gastrite.

– Asma.

– Bronquite.

– Taquicardia.

– Úlcera.

– Psoríase.

– Diabetes.

– Enxaqueca.

– Vertigens.

– Artrite.

– Artrose.

– Tendinite.

– Dores crônicas.

– Reumatismo.

– Entre outras.

É bem comum que o paciente encontre dificuldades até mesmo no tratamento dessas doenças, que por via medicamentosa, tende talvez a reduzir sintomas por curto espaço de período, mas logo depois, todas as dores e desconfortos retornam com maior intensidade, visto que a causa principal não foi tratada.

Tentarei explicar com simplicidade para tornar a compreensão mais fácil…

Digamos que você sinta taquicardia com frequência e ao fazer exame, os resultados afirmam sempre que tudo está normal. Como prevenção, o médico passou um calmante ou outro medicamento e ainda assim, a taquicardia persiste… você já parou para pensar sobre como você tem se estressado ou tem gerados altos níveis de cortisol ao seu organismo?

O que quero dizer é que se você não consegue trabalhar os fatores emocionais/ internos, tenderá a ter dificuldades de gerar saúde, pois você está preocupado apenas com o fato isolado da taquicardia, mas não está fazendo associação aos níveis de cortisol, estresse, de frustração e como essas dificuldades na gestão das emoções, tem feito mal a sua saúde, causando consequentemente esse resultado.

Entende como funciona a questão psicossomática?

Você não é apenas uma parte do seu corpo, como o coração, por exemplo. Você não é apenas pâncreas, não é apenas braço ou perna, mas sim todo o conjunto biológico, ou seja, mente, corpo e o lado emocional estão sempre conectados.

É muito comum que em casos de processos psicossomáticos, de fato seja mais difícil de encontrar correlação a doenças associadas. Muitos tratamentos também acabam nem funcionando. Então, de repente você se vê indo a vários médicos, sem conseguir ter sucesso com nenhum.

O grande diferencial

O grande diferencial é você entender que uma dor só se revela, quando há um sinal de alerta dentro do corpo!

Entender as causas dessa descompensação se faz muito importante, e toda a questão emocional, de hábitos, de comportamentos acabam ligados.

O emocional interfere de forma precisa em sua vida e em sua saúde, pois se baseia nos processos mentais, nos sentimentos, na sua afetividade consigo e com os outros ao redor.

Portanto, os sintomas podem se tornar piores ou menos intensos de acordo com o seu próprio progresso emocional.

O Movimento Inteligente atua com a cura do corpo e da mente, por meio de vários exercícios diferentes e é indicado para diversas patologias, sejam elas de ordem psicossomática ou não.

VENHA PARA O MOVIMENTO INTELIGENTE E CURE SUA VIDA!

Sobre Kelly Lemos

Veja também

O impacto de uma escolha!

Todos os dias você faz escolhas… às vezes pequenas, como por exemplo, qual roupa colocar, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *