Home / Aprenda / A Raiva como Um Mecanismo de Cura!

A Raiva como Um Mecanismo de Cura!

Pode parecer estranho falar sobre isso, mas é exatamente o que quero dizer.

A raiva é um caminho para a cura, assim como a dor crônica também.

Nenhuma emoção é ruim, temos que ter contato com todas as emoções e identificar os motivos pelos quais temos determinado sentimento, a partir daí devemos aprender a transformar dor em alívio. Porque um coração preso, cheio de rancor adoece.

A raiva é um tipo de energia que geralmente é empregada de forma errada. Por isso as pessoas tendem a explodir, mas se usada com sabedoria, ela pode ser transmutada em potência criativa, te ajudando a realizar sonhos, compreender processos vividos e doenças sentidas.

Essa raiva não deve ser sentida com a energia deslocada na forma de quebrar tudo, gritar. As pessoas confundem muito isso, sabe?

Confundem a energia e começam a se tornar destrutivas, e por isso tantas pessoas têm medo da raiva. Mas a raiva é uma emoção necessária, você precisa ter contato com ela.

Deixe-me explicar melhor… você sabe o que é dor, certo? E sabe o que é o alívio também, concorda?

Como da mesma forma você já experimentou o azedo e depois o doce. E então? Ambos se contrastam, mas são necessários. Começa a compreender?

É como a noite e o dia. Ambos são necessários para o corpo, para o trabalho, para a vida. Por isso você sente raiva, porque ela é necessária de ser sentida e não há nenhuma pessoa mortal nesse mundo que já não tenha tido esse sentimento em algum momento da vida.

Se perceber

É preciso se perceber nesse sentido. No caso da raiva é necessário entender o que está causando essa emoção.

Muitas vezes nós achamos que sentimos raiva pela atitude de alguém, porque o vizinho, um filho, um parente ou amigo fez algo, mas na verdade a raiva tem muito mais a ver com a nossa própria frustração, a dificuldade em lidar com algo.

E quando passamos a identificar isso, pegamos essa energia que está ali presa, ruminando em determinada situação, para atuar ao nosso favor.

Compreensão da raiva

Eu sempre digo em minhas Aulas do Movimento Inteligente que é preciso abrir o coração. Entrar em contato consigo mesmo, fazer uma reflexão sobre o que está acontecendo nesse momento e acima de tudo, não temer sentir as sensações dolorosas. Não é para temê-la, é para compreendê-la.

Todos nós temos pontos polares: dor e alívio, negativo e positivo. Quando passamos a estar mais conectados com nosso corpo, começamos a entender esse sentimento de raiva.

Muitas vezes adoecemos simplesmente porque não compreendemos esses processos que acontecem do meio interno e é deslocado para o externo, e daí achamos que a culpa é do outro.

Quando passamos a compreender esse sentimento, abrimos a couraça da resistência, do rancor, da dor emocional que costuma nos aprisionar numa esfera de tristeza recorrente.

O corpo fala

O corpo só reflete o que sentimos. Geralmente não nos damos conta das reações e consequências de nossos próprios hábitos. Citarei um exemplo prático:

Quando você está desenvolvendo uma tarefa e percebe que não está conseguindo concluir, o que acontece?

Você se frustra e sente raiva. Algumas pessoas até desistem, sem nem se esforçar um pouco mais para terminar. Ou seja, você coloca aquela energia de raiva para ser maior em sua vida e isso bloqueia outras áreas que podem ser desenvolvidas ao seu favor. Então simplesmente você adia, deixa para lá ou guarda mágoa, trazendo assim doenças emocionais e físicas.

Raiva reprimida de longos anos

Uma raiva antiga pode informar sentimentos não expressados desde a infância. E ela também te adoece. Não estou dizendo que você deve pegar essa energia e canalizá-la de forma desfavorável, brigando com as pessoas ao seu redor. Pelo contrário, você deve usar a raiva para curar a si mesmo. Perceber como e onde deve melhorar.

Saiba que a raiva é uma ponte de proteção. Na verdade, ela serve para te proteger psicologicamente e fisicamente, de forma que você não fica impotente diante as situações.

Quando você aprende melhor sobre como usar essa energia de forma assertiva, tudo se simplifica e você deixa de se angustiar porque entende que a energia liberada deve ser voltada a ultrapassar limites, a conquistar novos passos, a se autocurar.

Superando limites!

Expressar a raiva de forma criativa ajuda a aliviar o medo.

Por exemplo: Você sabia que a raiva ajuda a trabalhar os limites?

*Margarida tinha muita raiva de sua mãe por acontecimentos do passado. Através dos Movimentos Inteligentes ela percebeu que precisava perdoar, mas também aprendeu a dizer não para aquilo que não fazia bem a ela, aprendeu a dar um limite saudável e assim a relação com sua mãe melhorou.

Ela começou a usar a raiva de forma favorável, aprendendo a dar limites naquilo que a incomodava, mas sem que isso construísse uma mágoa ou uma doença em relação ao que passou. 

A raiva que protege é aquele tipo em que você entende o que pode e o que não pode fazer, sabendo dizer não para as situações que não lhe cabem…

A raiva te ajuda nesse sentido de compreensão, de forma que você começa a entender onde e quando deve dizer não, do porque não aceitar tudo ou as imposições das pessoas ao seu redor.

Perceba que ao centrar essa energia, ela passa a ser favorável para sua saúde. Ela te promove libertação, te fazendo entender o que é bom para si e o que não é.

Quando você libera essa energia de maneira proveitosa, você não permite mais que os outros sejam os autores da sua própria vida. Você entende que precisa fazer algo por si, em vez de apenas esperar que os demais ajam no seu lugar.

Não é gritar, esbravejar e medir forças, mas tomar as “rédeas” das situações, da sua vida e das experiências.

Através da raiva colocada de forma positiva, você aprende:

  • Quais são suas reais necessidades.
  • Quais são seus reais valores.
  • O que você precisa aceitar.
  • O que precisa negar.
  • E assim por diante.

Portanto, comece a trabalhar nesse sentido. Uma das mais lindas descobertas que você deve ter, é que as atitudes e experiências emocionais não expressadas podem dar origem a certos padrões que acabam por bloquear o seu fluxo energético, de forma que assim a doença, a dor e outros processos psicossomáticos vão se fazendo presente!

Por isso: LIBERTE-SE! Faça parte do Movimento Inteligente!

Acesse nossas redes sociais:

Instagram: https://www.instagram.com/kelly_lemos_oficial/

Facebook: https://www.facebook.com/movimentointeligentefeldenkrais/

Sobre Kelly Lemos

Veja também

4 atitudes incríveis que servem para aliviar a dor crônica

Joana no auge dos seus 40 anos, sentada em um banco de praça observa um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *