Home / Aprenda / Saia da condição de paciente e encontre a cura para doença crônica

Saia da condição de paciente e encontre a cura para doença crônica

Você já parou para pensar em como você se comporta diante da sua própria saúde?

Qual é a sua reação ao ser atingido por uma dor ou uma doença?

Como você se comporta quando tem que encarar um grande desafio ligado à sua saúde?

Pois é, saiba que você não precisa e não deve ser um paciente da dor e ficar esperando que outros encontrem a cura para suas dores crônicas e a solução para seus problemas, você pode sim fazer o papel de agente de sua própria saúde e encontrar de uma vez por todas, o bem-estar, o prazer e o equilíbrio entre corpo e mente.

Quer saber como? Acompanhe o texto;

Transforme a sua mentalidade, modifique o seu olhar sobre suas experiências e desafios, mude o foco e transforme a doença crônica em cura e saúde.

Como a condição de paciente pode me prejudicar tanto na vida quanto na saúde?

O hábito nocivo de se colocar na condição de paciente, no sentido de vítima, de ser incapaz de ajudar-se, pode se tornar um grande vício, gerando um ambiente interno favorável a contaminação, tornando cada vez mais e mais pessoas suscetíveis a dores e as doenças crônicas.

O desequilíbrio causado por reclamações, lamúrias e a impossibilidade de enxergar as oportunidades de progredir e de se curar, são grandes responsáveis por patologias ditas incuráveis.

Mas a notícia maravilhosa é que toda essa condição é reversível, você é capaz de alterar o seu presente e o seu futuro e alcançar de uma vez por todas a saúde em sua vida.

Mude imediatamente, abandone os vícios da vitimização!

A ciência já admite que a maneira como você nutre seus sentimentos e emoções, colabora para seu estado de saúde ou para o seu estado de doença.

E como isso acontece?

Isso se dá através do hábito de reclamar, da constante vitimização em cada situação da sua vida, por exemplo:

“Estou com dores nas costas, mas também eu faço tudo sozinho, estou sobrecarregado, ninguém me ajuda.”

Ou então;

“Vivo com dores de estômago, pois não consigo me alimentar bem, não tenho tempo para fazer uma refeição, como eu sofro!”

Perceba, que nas duas condições, é fato que as dificuldades e desafios existem, mas a possibilidade de mudar o foco e melhorar a sua visão para as duas situações também é real, perceba:

  • Se você se sente sobrecarregado, estressado, entenda como melhorar essa condição e exponha suas ideias; e mais importante de tudo: peça ajuda, isso não significa ser fraco ou incompetente e sim saber os seus limites.
  • Se você não tem tempo para comer em casa, que tal tirar uma parte do seu final de semana para se autocuidar e preparar comida simples e baratas com as coisas que a natureza tem a oferecer, seu estômago irá agradecer as marmitinhas saudáveis!

Consegue observar como mudando seu foco, tirando seu olhar do problema e se concentrando em encontrar uma solução, as situações mudam completamente?

A grande mudança!

Entenda o seguinte, a partir do momento que você começar a se conscientizar que condições adversas existem e que algumas não há como mudar, mas que existe sim a possibilidade de olhar e agir de uma maneira diferente, positiva, progressiva e com gratidão, as coisas em sua vida e em sua saúde começaram a mudar.

Olhe para a doença e pergunte: “O que eu posso aprender com isso?”.

“Como eu posso me transformar diante dessa adversidade?”

“Qual é a solução que eu posso e devo procurar para minha saúde?”

Isso irá fortalecer o seu corpo, além de estimular seu cérebro a trabalhar na busca da cura, e a partir de então, você começará a enxergar a infinidade de possibilidades que o pensamento positivo e o controle das emoções são capazes de trazer para sua vida!

Conecte-se com aquilo que você deseja e receba exatamente aquilo que você quer!

Abandone a condição de paciente e promova a cura em sua vida!

ENTRE PARA O MOVIMENTO INTELIGENTE!

Sobre Kelly Lemos

Veja também

MAMA3

Eficácia da Termografia na Detecção do Câncer de Mama

Os resultados da termografia diferem de pessoa para pessoa, então, uma vez que uma imagem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *