Home / Aprenda / Depressão depois da morte de um parente: O que fazer?

Depressão depois da morte de um parente: O que fazer?

Tão certo quanto nascer é o morrer!

Para alguns, é o fim de uma vida única que precisa ser aproveitada a cada segundo.

Para outros, apenas uma passagem, uma mudança de plano, o abandono da matéria física.

A morte, algo temido e desconhecido que provoca sentimentos diversos naqueles que ficam.

O questionamento, a inconformidade, a raiva são sentimentos comuns que todas as pessoas que perdem um ente querido em algum momento do luto vão sentir.

Entre esses sentimentos a depressão, que aparece como uma ferida surreal, mais que física, uma dor na alma, que dilacera o coração, afeta o corpo e os relacionamentos de muitos que passam por uma perda tão significativa.

Você está passando por isso? Ou conhece alguém que enfrenta essa barreira entre o ficar e deixar ir?

Então permaneça aqui e descubra como vencer a depressão e continuar a viver após a morte de um parente!

O LUTO!                     

O Processo de luto, de chorar a morte de alguém que ama é normal e necessário para evoluir.

Existem alguns estágios no processo de luto considerados normais, são eles:

  1. Negação;
  2. Tristeza;
  3. Raiva;
  4. Confusão;
  5. Desespero;
  6. Culpa.

A depressão pode fazer com que uma pessoa que sofre o luto estacione em um desses estágios, atrasando e até impedindo que se siga em frente.

Reconhecendo a depressão

Se a medida que o tempo passa a pessoa não consegue compreender a real situação do que aconteceu, se não retorna as suas atividades normais, se evita o assunto ou então vive apenas o fato, pode ser indícios de que a depressão se instalou.

O curso normal do processo de luto do início até sua completa superação se dá a cada passo positivo que a pessoa consegue realizar, os sentimentos de desespero, tristeza e inconformidade vão reduzindo gradualmente, até que reste apenas as lembranças e a saudade.

E o maior indício de que se pode estar depressivo é quando não se há certeza dos sentimentos, quando o que insiste em prevalecer é a confusão mental e a dor intensa que fere a alma.

E o mais importante para quem vive ou convive com a depressão é percebê-la e começar a tratá-la.

Superando a depressão, um passo de cada vez!

O primeiro e mais importante passo para vencer a depressão é reconhecer que algo não está bem, a princípio você pode até negar essa condição, e pensar como simples momentos de tristeza e angústia, mas se esses sentimentos te perseguem e não enfraquecem com o tempo, já é hora de entender que não está tudo bem.

A partir de então tudo fica muito mais fácil, uma vez que assumir a condição de que está depressivo, é um avanço gigantesco.

E então surge outra necessidade, procurar ajuda!

“Mas eu não preciso de terapia, não sou louco! ”  Isso pode até passar pela sua cabeça, e em parte é verdade, a depressão de forma alguma é loucura, no entanto, ela precisa de recursos para ser vencida.

Se você não se sente à vontade em procurar um profissional (o que de fato é muito adequado), procure alguém que confie e se abra, peça ajuda, não sofra em silêncio, a depressão é uma doença e pode matar.

Já foram dois passos, agora é só começar a caminhar para a vitória e a cura da depressão!

Existem tratamentos diversos para a depressão e muito eficientes por sinal, eles podem ajudar a encontrar o equilíbrio mental e espiritual e reestabelecer a ordem em sua vida e em seus pensamentos.

Mas lembre-se: Eles podem apenas ensinar você o caminho para a cura, mas cabe a você percorrê-lo e encontrar a melhor maneira de superar essa doença.

Vire o jogo – se ajude e vença essa batalha emocional!

Agora que a aquela pesada cortina que lhe impedia de ver a luz e a esperança do outro lado da janela, começa a ser removida, é hora de você dar um Up no seu emocional e nocautear a depressão!

“E sabe como? ”

Nutrindo seus pensamentos e emoções com amorosidade e positivismo!

Agindo de maneira construtiva e produtiva, sem deixar espaços para que as emoções negativas promovidas pela depressão invadam a sua mente e o seu corpo.

Lutando com todas as suas armas emocionais para manter a sua mente em constante vigilância, sem deixar-se abater por crenças e pensamentos sabotadores que irão surgir ao longo do caminho que você começou a trilhar.

Mas e na prática? O que fazer?

  • E se você começasse a exercitar o bem, a caridade por exemplo, sabe todo esse amor que não pode mais dar a quem se foi? Tem muita gente esperando de braços abertos para recebê-lo.
  • Outra forma prática é mexer-se! Não dê margem para o corpo ficar parado e à disposição da tristeza, Movimentos Inteligentes, atividade artísticas, música, dança, faça aquilo que te deixa feliz!
  • Crie hábitos saudáveis, amor e carinho para consigo mesmo são excelentes formas de combater a depressão!
  • Restabeleça seus planos e metas, imagine que a pessoa que se foi ficaria feliz ao te ver vivendo em paz e harmonia.
  • Se abra para aqueles que desejam a sua presença, não se isole, volte a ter uma vida social, vá aos poucos e respeitando seus limites.
  • Cuide com carinho dos seus relacionamentos, afinal de contas, os que te rodeiam ainda podem receber amor e afetividade, não espere e nem deixe passar momentos de tanta importância.

Por fim, entenda… a vida é como um rio… que segue seu curso até desaguar nas águas do mar e se fundir com a imensidão do universo.

A única certeza que existe é que nascemos e morremos para ter uma nova vida, por isso cada momento é único e exclusivo… portanto, não se perca para a depressão, procure ajuda, se ajude, deixe ser ajudado!

Sobre Kelly Lemos

Veja também

Dores crônicas e meditação – 4 dicas infalíveis para acabar com elas

Então você está buscando por dicas de como acabar com as dores crônicas? Pois saiba …

3 comentários

  1. melry jardim Barbosa

    Bom dia
    Estou a escrever tem horas que eu me sinto muito
    depressiva, sou divociada moro com uma meta menor de 11anos .tem dias que eu não tenho coragem pra nada nem para trabalhar me dar sono vou dormir, sou costuretirá sinto muita dor na coluna nada articulações faço os exercícios me sinto bem sãs dores passam. tenho estopenia no femo por isso sinto dores, más vou ao médico mostrar um exame que fiz, uma tomografia computadorizada da coluna.
    me ajude abraço bjos

  2. Oi perdi meu pai a 1ano e 11 mês .tem dia q e mais difícil pra mim lidar com a dor , tem hr q eu to brincando alegre na mesma hora já fico nervosa e sem querer eu ofendo a pessoa q ta do meu lado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Aprenda a ALIVIAR 80 a 100% da DOR CRÔNICA na COLUNA e ARTICULAÇÕES em Apenas 8 Semanas.

(Sem Remédios, Sem Cirurgias e Sem Sair de Casa)

envelope