Home / Alerta / Doença de Parkinson

Doença de Parkinson

Pelo que seu cérebro é responsável?

Pelos seus sentimentos?

Pelos seus pensamentos?

Seu cérebro é responsável por muito mais…

Ele é responsável por cada movimento do seu corpo, desde um piscar de olhos até o complexo ato de andar.

Ordens transmitidas pelo sistema nervoso central percorrem todo um caminho através dos neurotransmissores e chegam aos músculos que são seu ponto final…

Os neurônios dopaminérgicos são os responsáveis por controlar todos os movimentos do seu corpo, é como se fosse o condutor da máquina mais complexa que já existiu… O corpo humano.

Alguns atos cotidianos são tão automáticos e triviais que passam despercebidos ao pensamento com relação a todo o processo que precisa se realizar para que se possa, por exemplo, beber um copo d’água ou levar uma colher a boca.

Agora imagine você não poder realizar esse tipo de movimento tão simples…

Pois é muitos não podem…

Mal de Parkinson ou doença de Parkinson, você já ouviu falar?

Descubra agora tudo sobre a doença do tremor…

O que é a doença de Parkinson?

O mal de Parkinson é uma doença neurológica que se caracteriza pela degeneração de células situadas na região do cérebro conhecida como substância negra.

Essas células são os neurônios dopaminérgicos que são responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que controla os movimentos entre outras funções.

No entanto, a causa exata deste desgaste ou disfunção nas células cerebrais ainda é desconhecida.

A falta da dopamina provoca alterações funcionais nas estruturas localizadas no cérebro, que se relacionam com o controle dos movimentos e causam o aparecimento dos principais sintomas da doença:

  • Tremor
  • Rigidez
  • Bradicinesia (são os movimentos lentos)
  • Alteração do equilíbrio.

Entenda os fatores de risco

A doença de Parkinson só apresenta sintomas quando mais de 80% dos neurônios estiverem destruídos.

O porquê isso acontece ainda não foi explicado pela ciência, e esse desconhecimento torna a doença idiopática, em outras palavras, sem causa definida.

Contudo, alguns fatores de riscos já foram apontados:

  • Idade: O mal de Parkinson se apresenta tipicamente em pessoas idosas, iniciando-se normalmente por volta dos 60 anos de idade. São raros os casos de pacientes com Parkinson com idade menor de 40 anos.
  • Histórico familiar: Pacientes que apresentam casos na família correm mais risco de desenvolver a doença
  • Sexo masculino: A doença de Parkinson é mais comum em homens do que em mulheres.
  • Traumatismos cranianos: Isolados ou reincidentes, como os lutadores de boxe, por exemplo, lesam os neurônios e podem desenvolver o problema.
  • Contaminação por agrotóxicos: Substâncias químicas podem causar sérias lesões neurológicas e levar ao

 Conheça os sintomas

Os sintomas da doença de Parkinson podem ser divididos em 2 categorias: Motores e não motores.

  1. Sintomas Motores: Acontece principalmente quando o paciente encontra-se parado e diminui quando se movimenta o membro.

Esta característica é um fator decisivo na distinção entre o mal de Parkinson e tremores provenientes de outras causas.

Em fase inicial os tremores são irregulares e muitas vezes passam despercebidos pelos familiares.

O tremor em repouso é o sintoma inicial na doença de Parkinson e à medida que a doença evolui praticamente 100% dos pacientes apresentarão algum grau de tremor.

  • Bradicinesia: são os movimentos lentos e é o sintoma mais incapacitante do mal de Parkinson. Esse sintoma provoca cansaço e intensa fraqueza muscular junto com sensação de descoordenação motora.

Com isso tarefas bem simples se tornam difíceis, e o paciente aponta que começar um movimento voluntário é a principal dificuldade do sintoma.

Com a progressão da doença, até o ato de andar se tora complicado. Há uma rigidez: Os músculos rígidos é outro sintoma do mal de Parkinson, normalmente começa apenas de um lado do corpo e vai aumentando conforme a progressão da doença. Isso limita os movimentos e causa dor.

Instabilidade postural: A perda de instabilidade é um sintoma que ocorre em fases avançadas da doença e se manifesta na maioria das vezes por quedas irregulares.

Outros sintomas comuns da doença de Parkinson:

– Perda da expressão facial

– Redução do piscar de olhos

-Alterações na fala

– Aumento da produção de saliva

– Visão turva

– Micrografia

– Incontinência Urinaria

  1. Sintomas não motores: Os pacientes com Parkinson também podem desenvolver algumas alterações neurológicas como:
  • Demência
  • Alucinações
  • Alteração do sono
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Memória fraca
  • Psicose
  • Perda do olfato
  • Constipação
  • Dificuldades em urinar
  • Impotência sexual
  • Raciocínio lento
  • Apatia

Convivendo com prognóstico

Os tratamentos atuais ajudam muito no controle e melhoram a qualidade de vida do paciente. Algumas ações podem ajudar no retardamento dos sintomas e na qualidade de vida, são elas:

  • Manter uma boa nutrição e saúde em geral
  • Exercícios físicos regulares
  • Evitar o estresse
  • Períodos regulares de descanso
  • Fisioterapia
  • Fonoaudiologia
  • Terapia ocupacional
  • Adaptação da casa para manter a segurança do paciente
  • Fazer Movimentos Inteligentes.
  • Utensílios especiais para comer.

O trabalho em conjunto com equipe médica especializada a terapias ocupacionais podem minimizar o impacto da doença e ajudar o paciente a conviver com a doença de Parkinson.

Portanto, se você possui a doença ou conhece alguém que tenha, o ponto principal para manter uma relativa qualidade de vida é manter-se ativo em todos os sentidos, mental e físico.

Sempre respeitando os limites impostos pela doença, com muita paciência e perseverança.

Procure viver um dia de cada vez e entenda que o seu melhor está sendo feito.

E se você conhece alguém que tenha o problema, exercite sua paciência e amor ao próximo, afinal, todos podem passar por algo desconfortável, e às vezes aquilo que a pessoa mais precisa em um momento tão delicado como o prognóstico do mal de Parkinson é sentir-se querido e acolhido, sabendo que pode contar com um pouco do calor humano e da compreensão do outro.

Conheça mais sobre os Movimentos Inteligentes!

 

Sobre Kelly Lemos

Veja também

Dores crônicas e os traumas emocionais

Você já passou por alguma situação onde pensou que o trauma emocional foi tamanho, que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Aprenda a ALIVIAR 80 a 100% da DOR CRÔNICA na COLUNA e ARTICULAÇÕES em Apenas 8 Semanas.

(Sem Remédios, Sem Cirurgias e Sem Sair de Casa)

envelope